Cuidados com o bebê, Saúde do bebê

Teste da linguinha

tLinguinha_860A presidenta Dilma Rousseff sancionou, na última sexta (19/06), a Lei 13.002 que obriga as maternidades e os hospitais a realizarem o “teste da linguinha” nos recém-nascidos, antes de eles irem para casa. Ela foi publicada nesta segunda (23/06) e deve entrar em vigor em 180 dias.

O exame, simples e rápido, detecta se há uma alteração no frênulo – membrana que liga a língua ao assoalho da boca, popularmente conhecida como “freio”. Se o bebê tiver o problema, pode apresentar dificuldades de sucção e deglutição, que atrapalham a amamentação. Outra consequência é a língua presa: a criança poderá ter dificuldade na fala e na mastigação – não necessariamente ela terá os dois problemas, pode ser que mame normalmente, mas tenha a fala alterada.

De acordo com o texto original do projeto, caberia ao estabelecimento de saúde realizar a cirurgia de correção do problema assim que fosse feito o diagnóstico. O artigo, no entanto, foi retirado e permaneceu apenas o teste da linguinha.

Apesar de reforçarem a importância do diagnóstico precoce, alguns especialistas discordam da necessidade da regulamentação do exame. A Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) afirma que o teste da linguinha já faz parte dos cuidados com os recém-nascidos. Caso o bebê tenha uma alteração no frênulo, manifestará dificuldade de mamar nos dias em que ainda estiver na maternidade. Se o problema se apresentar na linguagem, não precisa de intervenção imediata. O pediatra diagnosticará a língua presa nas consultas rotineiras durante os primeiros anos de vida.

Já os especialistas que são favoráveis à lei alegam que ele seria uma forma de fazer uma triagem e detectar os casos que merecem atenção. “Os médicos já deveriam prestar atenção ao frênulo da criança, independente da existência da lei. Mas ela pode ser uma forma de chamar atenção para a importância do teste e do diagnóstico precoce”, explica a fonoaudióloga Alcione Campiotto, professora-assistente da Faculdade Santa Casa de São Paulo (SP). Ela reforça que nem todos os casos precisam de cirurgia de correção – tudo depende do grau de comprometimento. Mas, caso a operação seja necessária, o Sistema Único de Saúde paga o procedimento para corrigir o problema para pessoas de todas as idades. O ideal, no entanto, é que ocorra o mais cedo possível. Nos recém-nascidos, o procedimento é simples, porque a membrana ainda é fina – o bebê é colocado para mamar logo em seguida. Quando a criança é mais velha, a operação é mais dolorida e há cuidados pós-operatórios.

Fonte: Revista Crescer

Anúncios

2 comentários em “Teste da linguinha”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s